sábado, 6 de fevereiro de 2010

Ser antisocial...

Taí um assunto sobre o qual sempre quis escrever aqui. Vinha adiando há algum tempo, fosse por falta de disposição, fosse por não querer assumir o deprimente estado em que me encontro. Mas hoje, após mais um domingão insosso e monótono, fez-se o momento ideal pra dissertar sobre tal.

O dicionário Flip define “antisocial” como alguém contrário à ordem social. Ele é meio burro mesmo, só presta pra verificar a escrita correta das palavras; citei a explanação do primo pobre (e burro) do Houaiss a fim de exemplificar o quão difícil é definir o que é ser antisocial. Não se trata de algo evidente, como uma doença, nem mesmo um estado emocional, como a alegria, muito menos algo concreto, como… como uma maçã (!?). A melhor explicação que tenho comigo é que ser antisocial é um estilo de vida.

O sintoma inicial é um só: indisposição para ir a lugares com muita gente, o que invariavelmente faz da pessoa uma caseira convicta. Com o tempo, essa indisposição meio que caleja, passa a ser algo normal, inerente à pessoa. Passando para este estágio, traz inúmeros efeitos colaterais. A dificuldade na socialização é o principal deles; é estranho dizer isso, mas a pessoa parece perder o jeito de se relacionar. Não é como andar de bicicleta, é mais, bem mais complexo que isso. E esse bloqueio vale para todos os graus do relacionamento inter-humano, desde cumprimentos cordiais a desconhecidos, até o mais sublime dos sentimentos, o amor. Na seqüência, vem uma preguiça besta, acompanhada de mudanças de humor. Ora feliz, ora melancólico, o termômetro do estado de espírito fica louco, oscilando constantemente. Parece-me que quanto maior o isolamento do cidadão, mais o ponteiro tende à tristeza, enfim. Há uma coisa boa nisso tudo: uma dedicação exagerada à determinada coisa, que a partir de então, é feita com extremo esmero e excelência. Às vezes nem tanto assim, mas a intenção de quem sofre de anti-socialidade é sempre a melhor possível.

Antes que faça julgamentos equivocados, o antisocial, em regra, não é chato, nem maluco, muito menos bobo. Esses rótulos nada têm a ver com o fato da anti-socialidade, são coisas paralelas. Da mesma maneira que há os extrovertidos inconvenientes e os legais, existem antisociais chatos e bacanas.

Não me incomodo de ser assim, caso me importasse, já estaria maluco à esta altura. É normal, ora, me sinto bem assim, e é isso que importa. Mas as conseqüências que a anti-socialidade implicam são difíceis de suportar. Bom seria se eu achasse graça em sair no sábado à noite, numa danceteria qualquer, beber até cair, beijar umas cinco mulheres cujas quais eu sequer sei o nome, chegar em casa às seis da manhã e dormir o domingo inteiro. Mas não, acho isso uma tremenda idiotice, e o pior é que atualmente não há nada que eu faça que supra essa lacuna de divertimento.

Acho que antisocial se dá bem com antisocial. Ou pelo menos com pessoas que tenham resquícios de anti-socialidade em sua personalidade. Agora, alguém conhece uma mulher bonita, legal, inteligente e antisocial? Eu também não, e é aí que reside o problema-mor de ser assim. A falta de uma companheira é o que mais incomoda, sem dúvida. Eu admito, me dou por vencido. É a realidade, e com ela ninguém pode.

Será que vou ficar pra titio?

http://www.rodrigoghedin.com.br/blog/2005/07/17/ser-antisocial/

27 comentários:

  1. nossa!!! eu tenho tudo isso e as vezes me sinto problematico.Mas agora estou vendo q nao sou só eu.
    Tenho 13 anos e isso me encomoda muito, pois nao gosto de sair como meus amigos e sim prefiro ficar em cassa trancando no quarto as vezes 4 á 5 horas e sem mexer no celular ver tv etc...
    obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. você pode visitar meu blog link http://souantisocialquemerda.wordpress.com

      Excluir
    2. Oi também tenho 13 anos, esse assunto me incomada muito, não gosto muito de sair com amigos, e o pior e que eles acaban não gostando de mim por causas disso, acham que eu sou estranha e essas coisas do tipo

      Excluir
    3. Cara,você é que devia nao gostar deles...sério! O estilo de vida anti-social é o melhor existente.

      Excluir
  2. cara!!! quem é vc? preciso te conhecer,preciso encontra gente como vc,determinadas situações me tornaram um ser antisocial e sei la pq eu achava que só eu era assim,mas não,finalmente achei alguem como eu *-* ,texto maravilhoso cara,faz um livro *-*

    ResponderExcluir
  3. Trabalho num lugar, onde a predominancia sao mulheres, os dois unicos homens do setor, comentaram comigo que me achavam a menina mais bonita do setor, tenho um rosto de menininha estilo sandy e corpo de mulher fruta, nao me acho bonita, mas foi o que eles me disseram, digo isso,pq sou anti social, sou inteligente, (sou funcionaria publica, concursada)e nao acho que seje praxe, uma mulher anti social, ser feia,e burra , seguindo o conceito do texto, claro, pois ser anti social, e um estilo de vida, segue quem quer, independente de cor, padrao de corpo, etc; Muito bom texto, parabens.

    ResponderExcluir
  4. Também sempre tive essa tendência desde criança, mas sempre resisti, até por que é vivendo "nela" que se adquiri experiência de vida, na adolescência esses momentos foram crescendo, mas depois que arranjei uma parceira (que por sinal é a mãe das minhas filhas hoje) acabei meio que assumindo a minha antissocialidade, também por que a maioria dos meus amigos viajaram pra outras cidades em busca de trabalho...

    ResponderExcluir
  5. Olha, você está completo de razão! Ser antissocial nem sempre é ruim... Acho muito melhor do que ter amigos que apenas são seus amigos por status ou popularidade, não é?
    Adorei seu post! kkkk E espero que você já tenha encontrado sua mulher perfeita... E antissocial! kkk

    ResponderExcluir
  6. Ser anti-social não é muito bom, me identifico com o texto seu amigo, sei como é, mas sei la, sempre que vou em algum lugar, ou no trabalho mesmo, fico observando as pessoas ao meu redor, todas felizes, e eu aqui no meu mundo observando o comportamento delas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Tb sou assim e ñ gosto disso... Mas ñ consigo ser diferente... Slá, as vezes tenho inveja de pessoas felizes...

      Excluir
  7. Sou mulher e tão anti-social quanto você. A história da excelência é real. Dedico todo o meu tempo aos estudos.

    ResponderExcluir
  8. As pessoas sempre me chamam de anti-social.E sou mesmo.

    ResponderExcluir
  9. Completamente certo. Pessoas anti-sociais as vezes preferem ficar no seu mundo e eu sou uma dessas pessoas que muitas vezes são interpretadas como chatas, bobas e intediantes, mas não somos assim porque podemos ser diferente e sim porque queremos. Então só digo para os idiotas que pensam assim que os único bobos( para não dizer burros), chatos e intediantes, são vocês.

    ResponderExcluir
  10. sou anti social - sinto falta de uma menina que agora já deve ser mulher e ela não quer nem ser minha amiga
    sou apaixonado por ela e ela não quer nem dar atenção
    - se pelo menos ela fosse minha amiga já seria bom
    aqui no meu blog fajuto por favor se gostar leia tudo
    e ou pelo menos deixe um comentário

    meu blog aqui
    meus 3 posters

    1

    http://souantisocialquemerda.wordpress.com/2013/12/03/sou-antisocial

    2

    http://souantisocialquemerda.wordpress.com/2014/02/05/anti-social-e-anti-sociais/

    3

    http://souantisocialquemerda.wordpress.com/2014/01/20/ainda-vou-ver-para-que-serve-esse-2-poster/

    ResponderExcluir
  11. Cara vc me definiu todo. Eu sempre achei que só eu era assim, eu nunca gostei sair de casa mas minha me obriga, mas raramente ela me chama e sou viciado em jogos, eu meio que me sinto confortavel longe de pessoas, eu posso até ter 11 anos mas eu realmente sou anti-social

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você pode ir no meu blog ai em cima e deixar um comentário pelo menos e vê se eu sou anti social porque nem eu sei se puder compartilhar também ajuda por favor.link http://souantisocialquemerda.wordpress.com

      Excluir
  12. Também sinto me anti-social, não gosto e não me sinto nada confortável em ambientes cheios de pessoas como grupos, eu prefiro ficar em casa quando minha mãe me chama para ir a esses tipos de ambientes. E muitos da minha família não me entendem, falam que sou bicho do mato e coisas do tipo ,mais eu prefiro ser tachada assim á me obrigar a ir á ambientes onde pessoas gastam tempo com assuntos chatos e falam mao das pessoas pelas costas, sendo q depois fingem ser melhores amigas. Eu realmente sinto me muito bem em casa, no meu quarto posso ler,escrever,ouvir música ou simplesmente ficar quieta na minha apreciando um pouco o silêncio, muitas vezes é mais construtivo ouvir o silêncio do que certas pessoas e as asneiras q falam. by:myself.

    ResponderExcluir
  13. Eu sou anti-social dos brabo, odeio pessoas, odeio pessoas conversando do meu lado no ônibus, no celular, odeio dar trombada nas pessoas nas ruas, gente gritando, música alta, gente sem educação, grosseira, desleal, sem escrúpulos. Eu definitivamente não pertenço a este mundo e nem quero pertencer, não quero ser um ser humano, me recuso a sê-lo, me recuso a fazer o que os humanos fazem, me recuso a ser um ordinário consumista crônico. Não tenho intenções de mudar o mundo e as pessoas, só lamento de não encontrar semelhantes pra me isolar em companhia. A humanidade me dá nojo, pelo que é e faz. Não lamento de ser o que sou e pensar o que penso.

    ResponderExcluir
  14. também sou anti social mas do tipo que odeia o sistema e a vida e as coisas por favor fale comigo se você é anti social de verdade antisocialdv@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a voces nao sao anti sociais

      Excluir
  15. Perfeitamente bem escrito e expresso! Lábia e assunto você tem. E, enquanto mulher, lhe garanto que esse artifício convence as mais esclarecidas.

    ResponderExcluir
  16. Nossa muito bem escrito. O que eu faço no meu tempo sozinho é jogar poker. Não sou dos melhores ainda. Mas nos limites baixos de dinheiro eu sou superior a maioria tecnicamente

    ResponderExcluir
  17. Olha, eu acho que cada um com seu modo de vida e ponto. Acho que não gostar de estar nas festinhas e rodeado de pessoas é totalmente natural. Eu adoroooo ficar sozinha e acho a maioria das pessoas desinteressantes. O que me interessa nas interações é o que a pessoa pode me acrescentar em ideias, conhecimento, crescimento pessoal e profissional, mas o que geralmente encontro na maioria sao superficialidade, ignorância... Nao ter interesse nas pessoas, ainda mais hj em dia que o mundo anda meio burro, nao e problema. Ficar gastando dinheiro nessas baladas entupidas de gente burra e promíscua nao e ser antisocial. Tudo é ponto de vista. A vida e tao curta, preferivel gastar esse tempo precioso com a familia, os verdadeiros amigos, que somando sao pouquíssimas pessoas. Popularidade sociabilidade nao sao regras para se viver.

    ResponderExcluir
  18. nossa, nunca vi um texto tao bem escrito por essas localidades chamadas de internet rsrsrs. Seu texto me assemelha muito e admito que derrubou muitos rótulos encabeçados que eu possuía! ser anti social é uma normalidade humana, se integrado a um grupo de imbecis, isso sim é idiotice e suicídio social! (:

    ResponderExcluir
  19. Olá, nao sou anti-social, porem conheço a pouco tempo uma jovem adolescente que me encantou por ser bonita, inteligente, culta, etc... porem essa jovem menina namorou apenas uma vez na vida, por dois meses, e do nada deixou o rapaz, sem motivo algum... apesar de eu ter muitas qualidades, como bonito, inteligente, bom rapaz etc... não consigo conquista-la, pois ela diz que nunca sentiu nada por ninguem e acredita que nasceu pra viver sozinha, sem namoro, ou filhos... Essa jivem tem muitas variaçoes de humor e Concerteza é Anti-Social... Por Favor, Alguem me da uma Ajuda, Como Conquisto Alguem Que Nunca aceita Convite Nenhum, nunca sai, pretende viver so :(

    ResponderExcluir
  20. Porque ser sociável?
    O ser humano é lixo mesmo!

    ResponderExcluir
  21. Concordo plenamente. Sou antisocial e um pouco sociopata e com muito orgulho

    ResponderExcluir